Vitaminas e Minerais

A relação entre a falta de ferro e a anemia

22 de junho de 2021 . por Mariana T. Weinfurter (CRN-10/8252P)

 O que é o ferro e quais as suas funções?

O ferro é um nutriente fundamental para todas as células vivas e é essencial para os seres humanos. De acordo com a literatura, algumas das suas funções no corpo são a formação de sangue, o transporte de oxigênio, a produção de energia e, ainda, possui papel importante na melhora do sistema imunológico.

Esse mineral pode ser obtido de três fontes: do consumo alimentar, da liberação dos estoques presentes no corpo e da degradação da hemoglobina (proteína presente no sangue e que tem como função o transporte de oxigênio para os tecidos).

Como funciona o metabolismo do ferro?

A quantidade de ferro do organismo é bastante conservada e, pouco do que é absorvido, é eliminado. Assim que consumido pela dieta, o ferro passa pelo estômago, onde sofre uma modificação pelo ácido ali presente, e então é transportado até os enterócitos (que são as células do intestino), onde será absorvido.

Após isso, o ferro é exportado do enterócito via ferroportina (transportador de membrana) e então é entregue à transferrina plasmática (principal proteína de transporte de ferro). Essa molécula pode fornecer ferro à medula para o uso na produção de hemácias (glóbulos vermelhos/células vermelhas) ou ao fígado para o armazenamento, o que é feito pela ligação ao receptor da transferrina na membrana dos glóbulos vermelhos. Por fim, esse ferro é armazenado pela  ferritina, a qual consiste em uma proteína de armazenamento que se apresenta em 24 subunidades que criam uma casca que pode armazenar até 4500 moléculas de ferro.

Entenda qual a relação do ferro com a Anemia

A anemia é definida pela diminuição da quantidade de hemácias (células vermelhas do sangue), por sua coloração e tamanho alterados, e frequentemente acompanhada por baixa concentração de hemoglobina (proteína presente no sangue e que tem como função o transporte de oxigênio para os tecidos).

Estados anêmicos podem ser causados  por vários processos fisiopatológicos com abordagens diferentes de prevenção e de tratamento, mas a anemia causada por deficiência de ferro – nomeada Anemia Ferropriva – é considerada, segundo a Organização Mundial da Saúde (2008), a carência nutricional de maior magnitude no mundo.

Os grupos de risco que apresentam maior vulnerabilidade são crianças menores de 2 anos, mulheres gestantes e não gestantes. Possíveis causas são decorrentes das mudanças nos hábitos alimentares, que acompanham a transição nutricional no país, além do desmame precoce, também  pelo aumento da demanda de ferro nas gestantes e pelas perdas sanguíneas devido aos períodos menstruais nas mulheres não gestantes.

Sendo assim, é necessário identificar a causa da anemia para, posteriormente, administrar a terapia mais adequada para essa condição.

Veja quais são alguns tipos de anemia e suas principais causas:

 

 

ANEMIA FERROPRIVA

Causada por deficiência de ferro – pode ser influenciada pela baixa ingestão na alimentação ou pela perda excessiva do mineral (perdas de sangue ginecológicas/menstruação ou por tumores hemorrágicos) ou pela redução absortiva (Cirurgia Bariátrica, Doença Celíaca e Doença de Chron por exemplo)
 

ANEMIA POR DOENÇAS CRÔNICAS

Causada pela inflamação decorrente das doenças e ativação do sistema imune, o que pode reter o ferro dentro das células e também pode prejudicar a produção de Eritropoetina (hormônio que controla a produção de células vermelhas do sangue) – Doença Renal Crônica, Diabetes, doenças autoimunes – em especial Artrite Reumatoide, Câncer, entre outras condições
ANEMIA PERNICIOSACausada pelas deficiências de vitamina B12 e ácido fólico
 

ANEMIA APLÁSTICA

Causada pela diminuição de todos os tipos de células do sangue produzidas na medula óssea
 

 

ANEMIAS HEMOLÍTICAS

Hereditárias (Anemia Falciforme, Talassemia)

Adquiridas: podem ser causadas por reações de transfusões de sangue, incompatibilidade materno fetal, medicamentos, destruição física das hemácias ou alterações genéticas

 

Embora os tipos de anemias tenham causas diferentes, os sinais e sintomas podem ser bastante parecidos. Alguns sintomas mais evidentes são:

  • Comprometimento do sistema imune, com aumento da predisposição a infecções
  • Sensação de cansaço, falta de energia
  • Perda de cabelo
  • Distúrbios comportamentais e cognitivos
  • Cefaleia (dor de cabeça)
  • Tonturas
  • Sensação de frio
  • Palidez
  • Falta de ar

Como funciona o diagnóstico da anemia?

A anemia é classificada de acordo com a história do paciente e análise laboratorial. Logo, a partir da suspeita dessa condição, é feito um rastreamento para identificar se a causa é por deficiência de ferro ou por outros fatores.

Sendo assim, segundo a Sociedade Brasileira de Patologia Clínicas (2020), os exames podem incluir a análise dos seguintes marcadores: Hemograma, Ferritina sérica, Transferrina, Ferro sérico, Folato sérico ou eritrocitário,  Vitamina B12 sérica, Homocisteína, Anticorpos contra fator intrínseco ou anticorpos contra células parietais, Contagem de reticulócitos, Eritropoetina, Dosagem de glicose-6-fosfato desidrogenase, entre outros e que podem ser avaliados por um profissional de saúde habilitado.

Reposição/tratamentos para a Anemia Ferropriva

As mulheres devem ser rastreadas durante a gravidez, por aumentarem a demanda de ferro, e as crianças devem ser rastreadas com um ano de idade. Ferro suplementar pode ser dado inicialmente, seguido por exames complementares se o paciente não responder à terapia.

O ferro pode ser reposto através da alimentação e também a partir da suplementação oral ou  de maneira intravenosa, principalmente em pessoas em que o ferro oral não é eficaz ou contraindicado.

Entre as reposições orais existem as formas de suplementos e medicamentos com diversas concentrações, o que pode ser orientado de acordo com a prescrição de um profissional de saúde habilitado para isso.

Quais são as principais fontes de ferro nos alimentos?

O Ferro é encontrado em uma variedade de alimentos, sendo que os de origem animal são as fontes mais ricas desse mineral (carne vermelha, carnes de aves, suínos, peixes e mariscos). Também está presente em fontes vegetais como nas leguminosas (feijões, ervilha, lentilha), nos legumes (beterraba, brócolis), cereais (milho, aveia) e nos folhosos verde-escuros (espinafre, rúcula, agrião, couve).

Curiosidade: De acordo com a literatura, a ingestão de vitamina C, muito disponível nas frutas cítricas, favorece a absorção de ferro no organismo.

 

Referências

  1. DeLoughery, TG. Iron Deficiency Anemia. Medical Clinics of North America, v. 101, ed. 2, 2017, pág. 319-33.
  2. Merlo, CM. Wuillemin, WA. Diagnosis and therapy of anemia in general practice. Praxis (Bern 1994). 2009. Feb 18;98(4):191-9. German.
  3. Short, MW. Domagalski, JE. Iron deficiency anemia: evaluation and management. Am Fam Physician. 2013. Jan 15;87(2):98-104.
  4. Casos, A. Egocheaga, MI. Tranche, S. Pallarés, V. Ojeda, R. Górriz, JL. Portolés, JM.Anemia na doença renal crônica: protocolo de estudo, tratamento e encaminhamento à Nefrologia. Primary Care , 50 (1), 60–64. 2018.
  5. Ministério da Saúde. Brasil reduz anemia e carência de vitamina A em crianças de até cinco anos. 2020.
  6. Braunstein, EM. Anemia decorrente de doença crônica. Manual MSD: versão para profissionais da saúde, 2018.
  7. Schümann, Klaus e Noel W Solomons. “Perspective: What Makes It So Difficult to Mitigate Worldwide Anemia Prevalence ?.”Avanços na nutrição (Bethesda, Md.) Vol. 8,3 401-408. 15 de maio. 2017.
  8. Fisberg, M. Braga, JAP. Barbosa, TNN. Martins, FO.Funções Plenamente Reconhecidas de Nutrientes – Ferro / ILSI Brasil (2008).
  9. Labtests Online: seu guia confiável. Anemia. Jan, 2020.
  10. Sociedade Brasileira de Patologia Clínica.Anemia. Jan, 2020.
  11. Brasil. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Suplementação de Ferro : manual de condutas gerais. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

Escrito por

Mariana T. Weinfurter (CRN-10/8252P)

Nosso Instagram