Tosse e resfriados

Como a imunidade ajuda a prevenir o resfriado e a gripe

11 de outubro de 2021 . por Mariana T. Weinfurter (CRN-10/8252P)

Com a aproximação do inverno, é comum que as pessoas se preocupem mais com o resfriado e a gripe, não é mesmo? Um dos motivos é que, com a chegada dessa estação do ano, há uma combinação de temperatura baixa e de ar seco, cenário que acaba propiciando uma sobrevida maior do vírus Influenza, causador da gripe.

Além disso, no inverno há uma tendência de que os ambientes permaneçam fechados e com maior aglomero de pessoas para evitar o frio, o que facilita para que o vírus seja transmitido e atinja um maior número de pessoas.

Por isso, é importante que as pessoas estejam com o sistema imunológico forte e resistente não somente para evitar que as doenças respiratórias aconteçam, mas para enfrentá-las de maneira mais rápida e leve quando ocorrerem.

O que é o sistema imunológico?

O sistema imunológico é o sistema responsável pela defesa do organismo, o qual reage diariamente a agentes patogênicos (causadores de doenças), como vírus, bactérias, fungos e parasitas.

Esse sistema é composto por células (como os glóbulos brancos – leucócitos) e moléculas (anticorpos). Sendo assim, os principais órgãos de defesa do organismo são: timo, baço, amígdalas, linfonodos, medula óssea e apêndice.

Sintomas da imunidade baixa

Quando o sistema imunológico está comprometido o organismo tende a sinalizar de algumas formas diferentes, as quais incluem: Cansaço excessivo, queda de cabelo, unhas fracas, dificuldade de cicatrização, infecções – como a herpes bucal, enjoos, vômitos, diarreia, feridas e manchas no corpo, perda ou ganho de peso rapidamente, febre, gripes e resfriados de forma recorrente.

Veja alguns hábitos que influenciam o Sistema Imune:

  • Prática de atividades física: Tanto a atividade física em excesso como o sedentarismo podem prejudicar a imunidade.
  • Sono: A má qualidade do sono pode causar desregulações hormonais e, por consequência, prejudicar o sistema imunológico.
  • Hábitos de vida: O consumo de álcool e tabaco aumentam os radicais livres (moléculas que, quando em excesso, prejudicam a saúde e o sistema imunológico)
  • Tratamentos: Uso recorrente de alguns medicamentos, como imunossupressores e corticoides, assim como a quimioterapia podem baixar a imunidade.
  • Consumo alimentar: Uma alimentação pobre em nutrientes pode contribuir para a diminuição da imunidade. Veja abaixo alguns alimentos que podem ajudar!

 Quais alimentos podem contribuir para a imunidade?

A alimentação saudável pode auxiliar no aumento da imunidade e, com isso, prevenir doenças, pois ela fornece macronutrientes, vitaminas, minerais e compostos bioativos necessários para manter a integridade da barreira imunológica. Além disso, uma alimentação balanceada – e em quantidades recomendadas – pode garantir o peso adequado para o indivíduo e, assim, contribuir para o sistema imunológico, já que, tanto a desnutrição quanto a obesidade, são associados a quadros negativos de saúde.

Sendo assim, as frutas e os vegetais são alimentos bastante influentes em questões imunológicas, isso porque possuem substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias. Por exemplo, a laranja, limão, tomate e maracujá são ricos em vitaminas A, C e E; o gengibre, fonte de vitamina B6, pode ter função bactericida e expectorante natural.

Outros alimentos que também auxiliam são aqueles que são fontes de zinco (sementes de girassol, pasta de gergelim, semente de abóbora, aveia, lentilha), fontes de ácidos graxos poli-insaturados (abacate, nozes, castanhas, linhaça, chia) e também os que são fontes de fibras (arroz integral, aveia, milho).

Suplementos alimentares que podem contribuir para a imunidade

Os suplementos alimentares servem como um complemento à dieta e, com isso, podem ajudar a suprir as deficiências nutricionais bem como auxiliar na saúde como um todo. Veja abaixo alguns suplementos que podem contribuir para a imunidade.

  • Zinco, Vitamina C e Vitamina D: Fontes antioxidantes; podem aumentar a atividade dos linfócitos T (células de defesa), anticorpos (moléculas de defesa), além de regular a produção de citocinas e outros compostos que participam da resposta imunológica.
  • Polivitamínicos: Os polivitamínicos apresentam uma combinação de vitaminas e minerais com diferentes funcionalidades e que podem contribuir para o sistema imunológico.

Caso necessário, procure orientação de um profissional de saúde habilitado para uma conduta individualizada!

 

Referências

1.Piovacari, SMF. Shima, M. Cardoso, R. Oliveira, RMC. Saúde Alimentar: Imunonutrição. Einstein: Educ Contin Saúde.2008,6(1 Pt 2): 41-43.
2.Sousa, LO. Silva, RG. Rodrigues, DBS. Cardoso, AVS. Freitas, AS. Cruz, BRS. Alimentação e imunidade: o papel dos alimentos na redução das complicações causadas pelo Covid-19. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.4. Abril, 2021.
3.
Lima, LC. Gonzalez, MC. Nutrição Clínica no Dia a Dia. 2. ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2017.
4.Ghebrehewet, S. MacPherson, P. Ho, A. Influenza. BMJ. 2016; 355:6258.

 

Escrito por

Mariana T. Weinfurter (CRN-10/8252P)

Nosso Instagram